Sobe para 12 número de mortes por Influenza em MT, diz balanço da Saúde; 5 em Várzea Grande

O número de mortes causadas pelo vírus Influenza em Mato Grosso subiu para 12, de acordo com balanço da Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), divulgado nessa quinta-feira (23). O último boletim, divulgado no dia 27 de julho, apontava nove mortes pela doença.

Secretaria de Saúde diz que MT superou a meta de vacinação contra o
vírus Influenza (Foto: Lucas Lacaz Ruiz/Estadão Conteúdo)
As últimas três mortes foram confirmadas em Lucas do Rio Verde, Sorriso e Várzea Grande. Os diagnósticos apontaram H3N2, H1N1 e Influenza B.

Conforme o Informe Epidemiológico da Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica, outras mortes ocorreram em Cuiabá, Nova Mutum, Lucas do Rio Verde, Sorriso, Tangará da Serra, e Várzea Grande.

A maioria dos casos foi registrada em Várzea Grande, na região metropolitana da capital. Foram cinco mortes no município neste ano.

Para conter o avanço do vírus, o Ministério da Saúde realizou uma campanha nacional de vacinação que foi realizada no estado entre 23 de maio e 22 de junho deste ano. Mato Grosso superou a meta da campanha com um índice de 94%.

Medidas de prevenção individual (Foto: Divulgação/Sesa)
Como se contrai o vírus?

Um indivíduo infectado pode transmitir o vírus no período compreendido entre 2 dias antes do início dos sintomas até 5 dias após os mesmos. A transmissão mais comum é a direta (pessoa a pessoa), por meio de gotículas expelidas pelo indivíduo infectado ao falar, tossir e espirrar. Também se pode transmitir a doença pelo modo indireto por meio do contato com as secreções do doente.

Sintomas

Entre os sintomas da doença estão febre alta, com duração de aproximadamente três dias, dor de cabeça, mialgia (dor nos músculos), calafrios, prostração, tosse seca, dor de garganta, espirros e coriza, pele quente e úmida, olhos hiperemiados e lacrimejantes, garganta seca, rouquidão e sensação de queimor retroesternal ao tossir, aumento dos linfonodos cervicais, sintomas gastrintestinais (diarreia), astenia (fraqueza) e náuseas.

Prevenção

Para evitar a doença, é recomendado lavar as mãos com frequência, em especial ao retornar para casa, antes de preparar e/ou consumir qualquer alimento, antes de qualquer serviço, depois de tossir ou espirrar, após usar o banheiro utilizando sempre sabão, lavando inclusive os espaços entre os dedos e os pulsos, durante no mínimo uns 15 segundos, enxaguando abundantemente e secando com toalha limpa.

Lavar também os brinquedos das crianças mesmo quando não estiverem visivelmente sujos; restringir contato de familiares portadores de doenças crônicas e gestantes com o doente; utilização de máscara pelo doente; evitar aglomerações de pessoas e ambientes fechados, em especial na época de epidemia; evitar tocar os olhos, nariz ou boca após contato com superfícies; evitar sair de casa enquanto estiver em período de transmissibilidade da doença (até 5 dias após o início dos sintomas); os grupos de riscos devem ser vacinados contra influenza para a prevenção da doença e suas consequências.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.