Número de falências aumenta no Estado de Mato Grosso


De acordo com Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações, três empresas mato-grossenses entram com pedidos de falências e outras 16 tiveram a falência decretada. Os dados se referem ao acumulado de janeiro a julho. Na comparação com o mesmo momento de 2017, julho fechava sem nenhum pedido de falência e as falências decretadas em 50% menor, apenas oito. 

O saldo do Estado está na contramão da redução apontada pelo Indicador no país que verificou queda 19,1% de requerimentos de falências em julho em relação ao mesmo mês de 2017 (127 contra 157). Já na comparação com junho deste ano, houve aumento de 7,6%. Na verificação mensal de julho, as MPEs também ficaram na frente com 66 requerimentos, seguidas pelas médias empresas, com 34, e as grandes com 27. 

De janeiro a julho, foram realizados 813 pedidos de falência em todo o país, queda de 17,5% em relação aos 986 requerimentos efetuados no mesmo período em 2017. Na comparação com janeiro a julho de 2016, o número de pedidos de falência caiu 23,2%. Dos 813 requerimentos de falência efetuados nos sete meses de 2018, 438 foram de micro e pequenas empresas, 182 médias e 193 de grandes. 

De acordo com os economistas da Serasa Experian, a redução da taxa de juros e a retomada ainda que lenta do crescimento da economia contribuíram para a queda dos pedidos de recuperações judiciais e de falências em relação ao mesmo período do ano passado na análise do país. 

Já entre os pedidos de recuperação judicial, Mato Grosso registrou três em julho contra oito em julho do ano passado. Em sete meses, foram 38 pedidos, ante 45 em igual momento do ano passado, queda de 15,5%. As recuperações judiciais deferidas somaram nove em julho desse ano contra um em igual mês do ano passado. De janeiro a julho de 2018 são 35 contra 32 em igual acumulado do ano passado (+9,37%).

No país, o Indicador mostra que foram requeridos 97 pedidos de recuperações judiciais, queda de 24,8% em relação a julho de 2017. Já em relação a junho deste ano, os pedidos caíram 2%. As micro e pequenas empresas lideraram os requerimentos de recuperação judicial em julho de 2018, com 52 pedidos, seguidas pelas médias (26) e pelas grandes empresas (19). 

No acumulado de janeiro a julho de 2018, foram requeridos 850 pedidos de recuperações judiciais, aumento de 4,4% do que o registrado no mesmo período em 2017. De janeiro a julho de 2017, foram 814 ocorrências contra 1098 em 2016. 

Nestes sete meses de 2018, as micro e pequenas empresas tiveram 526 pedidos, seguidas pelas médias (196) e pelas grandes empresas (128)

FONTE: DIÁRIO DE CUIABÁ

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.