Paz em meio à guerra


A paz de Cristo. É interessante começar esse artigo enfatizando que das treze epístolas aceitas como Paulinas, sete delas foram escritas na prisão: Efésios, Colossenses, Filemom, 1 e 2 Timóteo, Tito e Filipenses.

O apóstolo Paulo, mesmo preso, teve paz mental e tranquilidade, para que inspirado pelo Espírito Santo, escrevesse aos filipenses e a nós que a paz de Deus excede todo o entendimento. Mas a pergunta que não quer calar é: Como que um homem que teve a sua liberdade tolhida consegue experimentar paz em meio à batalha da alma, onde suas emoções estão sendo postas à prova em meio às trincheiras do território inimigo. Não bastasse isso, há uma luta contra o próprio “eu”, peleja essa que todos nós enfrentamos no âmbito espiritual. Satanás e seus lacaios usam armamento pesado a fim de nos desestabilizar a ponto de roubar a nossa paz, minar a nossa razão e saquear a nossa esperança.

As lutas diárias envolvendo saúde, finanças, matrimônio, filhos, parentes, emprego, e tantas outras coisas têm abatido muitos cristãos, levando-os a tamanho desespero que estão ceifando a própria vida por meio do suicídio.

Há pessoas que não se suicidaram, mas que vivem como mortas, sem vontade de viver, sem vontade de lutar, pessoas que outrora estavam entusiasmadas com Deus, mas que hoje relativizam até a existência desse Ser Supremo. A paz que antes reinava em seus corações deu lugar ao ódio, à incredulidade, à indiferença, baixando as temperaturas da fé à clima siberiano. Inclusive, estar numa Igreja ou ser cristão também não são garantia de ausência de lutas e problemas, então como usufruir de paz em meio à guerra? Qual é o segredo do apóstolo Paulo para desfrutar dessa paz que excede o entendimento?

A paz de Deus não é um lugar onde se chega, mas é um estado de espírito!

Paz no grego koiné, idioma que foi escrito o Novo Testamento é “eirene”, de modo metafórico aponta para paz mental, tranquilidade que surge a partir da reconciliação com Deus, de uma sensação de ter recebido o favor divino, a graça de Deus.

A paz de Deus tem no próprio Deus a sua origem, a sua fonte matricial. Essa paz é uma qualidade espiritual que nos é divinamente conferida, da parte do Espírito Santo, que gera esse fruto em nós que somos sua habitação! Todos que nascem de novo podem experimentar essa paz!

O próprio Senhor Jesus disse: “Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize”. (João 14:27)

A paz de Deus impera mesmo em meio aos conflitos e tribulações!

As aflições do mundo nos alcançam, o dia mal chega para todos nós sem fazer distinção de cor, idade, classe social, mas a paz que excede todo entendimento é possível de ser vivida quando negamos a nós mesmos, paramos de lutar com as nossas próprias forças e entregamos as rédeas de nossas vidas nas mãos do Senhor!

Ainda que sejamos lançados na fornalha; ainda que tenhamos que enfrentar gigantes; ainda que tenhamos que enfrentar principados e potestades; temos a nossa confiança depositada em um Deus que nunca nos abandona, que jamais deixa o soldado ferido entregue nas mãos do inimigo.

“Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo”. (João 16.33)

Só Jesus Cristo é capaz de nos proporcionar Paz em meio à Guerra.

“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz”. (Isaías 9.6)

Após vencer a morte, Jesus aparece ressurreto aos discípulos, que estavam com medo dos judeus e com as portas trancadas, e a primeira coisa que ele diz aos seus discípulos é: Paz seja convosco! (João 20.19)

Fora de Jesus todo caminho é beco sem saída.

Fora de Jesus toda verdade não passa de uma grande mentira.

Fora de Jesus a vida não passa de morte.

Paz de espírito, tranquilidade verdadeira, só em Jesus é que nós encontramos.

É por tudo isso que o apóstolo Paulo, ainda que estando preso tinha a paz de Deus.

Se você está com ausência de paz na sua vida, quero te dar três dicas:

1) Reconheça a ausência de paz;

2) Esvazie-se de si mesmo;

3) Entregue a sua vida e seus problemas para Jesus!

Jesus te diz: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. (Em outras palavras, encontrareis paz). Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”. (Mateus 11.28-30)

O salmista declarou: “Em paz também me deitarei e dormirei, porque só tu, SENHOR, me fazes habitar em segurança”. (Salmo 4.8)

Quer ter Paz em meio à Guerra, você precisa render-se totalmente a Jesus.

Por Anderson Vieira - Pastor, Escritor, Conferencista, Bacharel em Teologia, Bacharel em Comunicação Social, Professor de Seminário Teológico e Capelão Internacional. Casado e pai de três filhos.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.