Taques cancela verba para Carnaval; Botelho vê erro do Executivo

O governador Pedro Taques (PSDB) encaminhou ofício ao presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Eduardo Botelho (PSB), na terça-feira (16), informando que não poderá prestar auxílio financeiro para a realização de festas de Carnaval nos Municípios de Mato Grosso, em 2018.

Desfile de Carnaval de rua em Cuiabá no ano passado
O auxílio é encaminhado pelo Executivo todos os anos através de emendas parlamentares. Não há informações sobre quais cidades serão afetadas com a decisão, nem o valor total das emendas. 

No documento, o governador explicou que a medida foi necessária em razão da crise financeira que assola o Estado.

“Apesar de ciente que tais festividades estão inclusas no arcabouço cultural de grande parte da população e deve ser apoiada (art. 215 da Constituição Federal), diante do atual cenário financeiro do Estado é necessário fazer escolhas orçamentárias responsáveis e priorizar a contínua execução de outros serviços públicos que também constituem direitos sociais fundamentais dos cidadãos, em benefício de todos os mato-grossenses”, diz  trecho do ofício.

“Os esforços para a recuperação da economia no Estado de Mato Grosso têm contando com a inarredável contribuição da Assembleia Legislativa, como a aprovação da Emenda à Constituição Estadual nº 81/2017, que institui o Regime de Recuperação Fiscal - RRF, também conhecida como 'Teto dos Gastos',  de modo que são certos a compreensão e o apoio dos Nobres Parlamentares”, completa o documento.

Ao final, Taques solicitou que Botelho informe os 24 deputados estaduais sobre a decisão.

“Na oportunidade, ao passo que solicito a extensão dessa comunicação aos demais Membros desse Egrégio Parlamento, aproveito para renovar votos de consideração e respeito”, concluiu o documento.

Ao MidiaNews, o deputado Eduardo Botelho disse que acata, mas não concorda com a decisão do governador.

“São festas tradicionais que as prefeituras fazem com apoio dos deputados. Vamos acatar a decisão, mas particularmente eu não concordo", afirmou o presidente da Assembleia. 

Segundo o deputado, o governador deveria, ao invés de cortar todo apoio, estipular um valor menor para cada parlementar. 

Veja fac-símile do ofício: 


Fonte: Mídia News

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.