O que o suor excessivo pode estar dizendo sobre a saúde?


Apesar de irritante, o suor tem um papel essencial na manutenção do nosso organismo. Através dele, o corpo consegue manter uma temperatura estável, além de liberar algumas toxinas. Mesmo assim, o suor excessivo pode ser um sinal de que a saúde não está 100%.

Primeiramente, é importante lembrar que a produção exagerada de suor pode ter fundo psicológico. É a chamada hiperidrose emocional, que pode estar ligada à depressão, ansiedade e stress. Segundo a Dra. Samar Mohamad El Harati, dermatologista do Hospital São Luiz (São Paulo), casos dessa natureza devem ser acompanhados por um psicólogo e, dependendo da situação, também por um psiquiatra. Ao invés de combater a produção do suor em si (com medicamentos e cirurgia localizada), alguns casos de hiperidrose emocional podem ser totalmente resolvidos por meio de tratamento psicológico e psiquiátrico, segundo a médica.

O suor excessivo também pode ser um sinal de alerta para doenças metabólicas, lesões neurológicas e problemas hormonais. “Pode estar relacionado a diabetes, alterações da glândula tireoide, alterações do sistema nervoso e infecções. Nesses casos, é preciso procurar um endocrinologista e/ou um neurologista”, diz a Dra. Samar. Quando a paciente apresenta problemas hormonais, o ginecologista também é consultado.

“Na primeira consulta ao dermatologista é realizado um histórico detalhado em relação à sudorese, idade, inicio do aparecimento dos sintomas, locais acometidos, e aos hábitos do paciente, além de exames laboratoriais”. A médica afirma que é muito importante tratar a raiz do problema e não apenas a consequência dele – no caso, a produção excessiva de suor. “Sempre tratamos a sudorese pela causa, por isso é essencial consultar um dermatologista para o diagnóstico e tratamento correto“. 

A médica também chama atenção para outra possível causa do suor excessivo: o uso de certos medicamentos. Há casos em que esse tipo de efeito colateral é esperado e, apesar de incômodo, a produção de suor não significa que o remédio esteja fazendo mal ao organismo. “Dependendo do benefício que o remédio proporciona ao paciente, o seu uso não deve ser interrompido”. Nesses casos, a suspensão do medicamento nunca deve ser feita sem que o médico seja consultado primeiro.



Fonte: MdeMulher

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.