Cão farejador acha 30 kg de cocaína em estrada de garimpo ilegal em MT

A cadela Sharon, da raça labrador, encontrou 30 kg de cocaína em uma estrada que dá acesso são garimpo ilegal na Serra da Borda, no município de Pontes e Lacerda, distante 483 km de Cuiabá, nesta sexta-feira (27). A droga estava em duas mochilas abandonadas por dois homens em uma área de mata.

Sharon, da raça labrador, participou das buscas pelo corpo de jovem desaparecida (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
O entorpecente foi encontrado durante buscas pelo corpo da jovem Paula Andressa Gregório, de 29 anos, desaparecida há pelo menos 22 dias, na região que ficou conhecida como ‘Nova Serra Pelada’.

A apreensão ocorreu na MT-473, a estrada do Matão, que leva ao garimpo. Ao avistar o carro da polícia, dois homens entraram na mata com duas mochilas nas costas.

Na fuga, eles abandonaram os objetos, encontrados por Sharon. Ao todo, foram apreendidos 29 tabletes de pasta base e 2 kg de cloridrato de cocaína.

Segundo a polícia, ninguém foi preso. O material apreendido foi encaminhado para a delegacia da Polícia Civil de Pontes e Lacerda.

Com o auxílio do Corpo de Bombeiros, Sharon participou das buscas por ser especializada na busca pessoas perdidas em região de mata e cadáveres. De acordo com a Polícia Civil, o corpo da jovem não foi encontrado. Outras buscas devem ser feitas na região.

De acordo com a Polícia Civil, caso ainda é tratado como desaparecimento (Foto: Reprodução/ Facebook)
Desaparecimento

Segundo os familiares de Paula, o último contato com Paula foi feito por telefone no dia 3 de janeiro. Ela saiu de São José das Palmeiras (PR) e morou no Pará antes de tentar a sorte na área de garimpo.

Ela  morava em uma casa alugada e havia afirmado à família que pretendia ir embora assim que o aluguel vencesse, no dia 10 de janeiro. “Ela [Paula] pretendia voltar para o Paraná, porque precisava fazer tratamento", disse Rafaelyn Gregório, prima da jovem.

Segundo Rafaelyn, nada foi levada da casa de Paula. "Tudo na casa dela estava intacto, as bolsas, os móveis, R$ 200 que ela tinha pegado emprestado com um amigo.

Até os remédios que ela toma e que são controlados estavam na casa”, contou, explicando que a prima havia sido diagnosticada com depressão de terceiro grau e estava em tratamento.

O último contato da jovem foi feito com a mãe por telefone. “A ideia dela [Paula] era continuar o tratamento perto da família, por orientação da médica dela”, afirmou a prima.

Antes de se mudar para a área de garimpo, Paula morou em Novo Progresso (PA) e montou uma funerária. Para ir em busca de ouro, no entanto, ela vendeu o estabelecimento e se mudou para Pontes e Lacerda.

Fonte: G1 MT
Tecnologia do Blogger.